Retomada dos roteiros de etnoturismo a partir de 2022 é discutida em Palmas

Divulgação do turismo indígena e retomada das visitações às aldeias foram pautas da reunião entre Adetuc. lideranças Krahô e Tekoá Brasil.


Henrique Lopes e Redação Tekoá


Jairo Mariano (c), presidente da Adetuc, redeceu lideranças Krahô, indigenista e o diretor da Tekoá, Marcos Luz, para tratar do etnoturismo (Flávio Cavalera)


A formatação de ações para desenvolvimento do etnoturismo nas aldeias indígenas foi um dos temas discutidos na terça-feira, 17 de agosto, pelo presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Jairo Mariano, com líderes da Associação Hotxuá e da Aldeia Manoel Alves Pequeno, terra indígena Krahô, localizada no município de Itacajá.


O encontro contou com a participação do cacique da Aldeia Manoel Alves Pequeno, Roberto Caxet Krahô, José Edilson - ambos representantes da Hotxuá -, além indigenista aposentado e escritor Fernando Schiavini e do empresário sócio da operadora de turismo Tekoá Brasil, Marcos Luz. O presidente Jairo Mariano ouviu as demandas sobre a retomada das atividades de etnoturismo a partir de janeiro de 2022 e também sobre a integração da cultura tradicional indígena às ações de divulgação dos roteiros tocantinenses.


Com foco no impulsionamento do etnoturismo, o presidente da Adetuc sugeriu a participação indígena na 48ª Abav Expo & Collab, que acontece em setembro, em Fortaleza (CE). A abertura de editais específicos para atender as comunidades indígenas tocantinenses também foi uma das prioridades pautadas.


Ao avaliar as propostas da Adetuc, o indigenista Fernando Schiavini revelou que são animadoras e projetam uma nova realidade para as comunidades, não apenas em Itacajá e Goiatins, onde fica localizada da Terra Indígena Krahô, mas em todo o Estado. "Saímos animados com as ideias apresentadas pela Adetuc para o impulsionamento do etnoturismo e com a certeza a parceria com o Governo do Estado gerará frutos positivos à cultura indígena.


Com 25 anos de atuação no turismo, o empresário Marcos Luz afirma que a nova visão da Adetuc para a formatação de roteiros focados em experiências atendem uma demanda mundial. “O que o Jairo Mariano propõe para o turismo de experiência no Tocantins é uma tendência em todo o mundo. As pessoas estão buscando viagens que causam um impacto de mudança comportamental e de valores relevantes ao ser humano. O etnoturismo nos faz mergulhar em uma cultura ancestral e ter um contato com a natureza que é imensurável”, ressaltou ao dizer que o diferencial do Estado é a diversidade de etnias.


Com projetos a serem executados em todas as regiões turísticas, o presidente da Adetuc, Jairo Mariano, frisou a relevância das comunidades tradicionais indígenas na cultura tocantinense e a união com o turismo de base comunitária para a garantia de renda e maior qualidade de vida dos povos indígenas do Estado.


“A Aldeia Manoel Alves Pequeno e outras comunidades indígenas já fazem esse trabalho de etnoturismo que tem ajudado a fortalecer as tradições indígenas do Tocantins e permitem um intercâmbio entre o turismo e as experiências vivenciadas dentro das aldeias”, ressaltou Jairo Mariano, ao afirmar que o Governo do Tocantins, por meio do governador Mauro Carlesse tem incentivado a formatação de novas rotas turísticas que visam a valorização da cultura local.


Case de sucesso


A busca pelo apoio do governo tocantinense visa a retomada de uma parceria de sucesso entre a aldeia Manoel Alves e a Tekoá Brasil, que gerou interesse de várias outras etnias; Após 2 anos de negociações e preparo, as visitações à aldeia tiveram início em 2019, com ampla aceitação, mas o projeto foi interrompido em 2020, em função da pandemia de Covid-19. No mês de maio, Marcos Luiz e Fernando Schiavini, mentor do projeto, retornaram à localidade e ouviram o apelo das lideranças Krahô pela volta das visitações turísticas. "Estamos em busca de novas parcerias para retomar as atividade", informa o diretor da Tekoá.



26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo